quinta-feira, 21 de abril de 2011

Para comemorar o Dia do Observador de aves de 2011, o CEO apresenta...

Dia 28 de abril: Dia do Observador de Aves


O Observador de Aves já pode ser considerado hoje no Brasil como um grupo significativo e crescente de pessoas com um perfil bem definido de interesses e práticas, a exemplo do chamado birdwatcher, dos países de língua inglesa. É então interessante, para marcar junto à sociedade a presença desse grupo de pessoas, a instituição do Dia do Observador de Aves.

Assim o Centro de Estudos Ornitológicos decidiu promover essa campanha pela instituição desse dia. A data não conflitará com o Dia da Ave, 5 de outubro, já instituído legalmente em nosso país, já que neste caso o foco de interesse e de comemoração são as aves. No Dia do Observador de Aves o homenageado é a pessoa que se dedica a essa prática.

A observação de aves: esporte, lazer, ciência e arte

Luiz Fernando Figueiredo - by Silvia Linhares

por Luiz Fernando Figueiredo

A observação de aves, ou birdwatching, é uma prática que envolve milhões de pessoas em todo o mundo. Nenhum outro grupo de animal silvestre exerce maior atração sobre as pessoas, para sua simples contemplação.

Certamente algumas qualidades notáveis das aves são responsáveis por isto, como sua capacidade de vôo, invejada pelo homem por centenas de anos, seu colorido, muitas vezes impossível de ser retratado numa pintura, já que algumas cores são decorrentes de iridescências devidas à própria estrutura das penas, seu canto, melodioso e agradável ao ouvido humano.

Além disto, a grande conspicuidade das aves, podendo ser vistas voando a grandes alturas ou sobrevoando ondas em alto mar, nos desertos mais áridos e no inóspito inverno antártico. Ah, certamente, nos jardins e quintais de nossas casas! Mais qualidades? Sim, a inofensividade das aves, sabendo-se que agridem o ser humano somente quando este tenta aproximar-se de ninhos de corujas ou falconiformes (águias, gaviões e falcões), no alto de alguma árvore.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Parque do Zizo abriga floresta de Mata Atlântica mais preservada do Brasil

Foto de Octavio Campos Salles
Site do Zizo
O Parque fica em São Miguel Arcanjo

Para aproveitar os feriados, a dica está em São Miguel Arcanjo que abriga a floresta de Mata Atlântica mais preservada do Brasil. Boa parte dela fica no Parque do Zizo, uma reserva particular criada em homenagem a um estudante morto durante a ditadura militar.


A terra da uva também é a terra do verde exuberante. São Miguel Arcanjo abriga os remanescentes de Mata Atlântica mais bem preservados do Brasil.


Pelo menos trezentos hectares da floresta primária intacta estão concentrados no Parque do Zizo, localizado a 27 quilômetros do centro da cidade.


Quem quiser pode passar o fim de semana no parque, mas é preciso abrir mão das tecnologias do mundo moderno. No local não há energia elétrica, telefone celular não funciona e as acomodações são bem rústicas.

sábado, 16 de abril de 2011

Conheça os vencedores do Concurso "Voa que te quero livre" promovido pela Reserva Guainumbi

O CEO tem o orgulho de anunciar os vencedores do Concurso Fotográfico da Reserva Guainumbi Voa que te quero livre 2010.

Patrocinada pelo COA Sul-fluminense, a Guainumbi promoveu um concurso de fotografia de aves nativas, livres, que premiou as melhores fotos em quatro categorias, conforme abaixo:

Categoria Compacta com zoom até 5x
Categoria Compacta com superzoom no Brasil
Categoria Fotos na Guainumbi com câmeras compactas
Categoria Fotos na Guainumbi com câmeras DSLR

quarta-feira, 13 de abril de 2011

O voo do Falcão Peregrino - por Flavio Guglielmino

video

O falcão-peregrino (Falco peregrinus) é uma ave de rapina diurna de médio porte que pode ser encontrada em todos os continentes excepto na Antártida.

A espécie prefere habitats em zonas montanhosas ou costeiras, mas pode também ser encontrado em grandes cidades como Nova Iorque.

Na América do Sul, ele só surge como espécie migratória, não nidificando aqui. Como ave reprodutora, é substituído na América do Sul por uma espécie similar e um pouco menor, o falcão-de-peito-laranja.

Foto: Wikimedia Commons, acervo de conteúdo livre
O falcão-peregrino mede entre 38 e 53 cm de comprimento, com uma envergadura de asas de 89–119 cm e peso de 0,6-1,5 kg, sendo as fêmeas maiores e mais pesadas que os machos e constituindo este o único dimorfismo sexual.

A sua plumagem é característica, em tons de cinzento-azulado no dorso e asas; cabeça preta-cinza com "bigode" escuro e queixo branco; bico escuro com base amarela; patas amarelas com garras pretas riscada de negro na zona ventral. Os olhos são negros com anel amarelo e relativamente grandes. As asas são afiladas e longas.

domingo, 10 de abril de 2011

Reporter ECO da TV Cultura divulga o Guia de Aves da Mata Atlântica no Estado de São Paulo

A colorida saíra- de- lenço posou para a capa do "Guia de aves Mata Atlântica Paulista / Guide to the Birds of São Paulo’s Atlantic Forest". Organizado pela Ong WWF-Brasil em parceria com a Fundação Florestal da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, a publicação destaca 48 aves avistadas com frequência no bioma, conta a turismóloga. Entrevista Anna Carolina Lobo- coordenadora de ecoturismo da Secretaria Estadual de Meio Ambiente de São Paulo:

"A idéia inicial era escolher as espécies mais avistadas no maior contínuo de mata atlântica do estado de São Paulo que é onde fica a Serra do Mar e a Serra de Paranapiacaba, que acaba pegando o norte de São Paulo até o sul da divisa com o Paraná.

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Vem aí o dia do observador de Aves

Foto: Pardal (Passer domesticus) - por Silvia Linhares
DIA DO OBSERVADOR DE AVES – 28 DE ABRIL

Para comemorar o Dia do Observador de aves de 2011, o Centro de Estudos Ornitológicos propõe as seguintes atividades, para serem feitas por qualquer cidadão:

1. Pare pelo menos uns 10 minutos em algum lugar onde possa observar as aves. Pode ser a janela de tua casa, uma praça no caminho para o trabalho ou na hora do almoço ou mesmo, quem sabe, da janela do trabalho. Veja o que elas estão fazendo, o que estão comendo, como se comportam. Já tinha visto essas aves? Sabe o nome delas? Se souber, procure mais informações sobre essas espécies na internet. Se não souber, tente descobrir procurando-as em sites de fotos de aves, como o Wikiaves.

2. Fotografe uma ou mais aves em tua cidade que ainda não tenham sido fotografadas e postadas no site Wikiaves. Poste as fotos nesse site, desta forma estará contribuindo para o registro de uma ou mais espécies de ave desta cidade.

3. Mande para pelo menos um amigo uma mensagem informando sobre o evento Avistar que ocorrerá no mês de maio em São Paulo. Mesmo que ele não possa vir, poderá saber pelo site que já existe um movimento significativo dos observadores de aves (birdwatchers) em nosso país. Quem sabe ele não se interessa também por isto?

4. Mas se você já é um observador de aves, e está decidido a um programa mais "hard" então aceite o desafio de fazer um “Big Day”: vá para algum lugar, de preferência uma área natural, levante antes do clarear do dia passe o dia inteiro (e parte da noite) observando e registrando as espécies de aves que vir ou ouvir. Só vale de zero hora às 24 horas do dia em questão. Se não puder fazer isto no dia 28 de abril, que cairá numa quinta-feira, faça no sábado ou domingo seguintes. Gostaríamos de receber as listas produzidas no Centro de Estudos Ornitológicos. O recorde que temos registrado para o sudeste do Brasil nesse tipo de atividade no estado de São Paulo é de 180 espécies (Miracatu, SP) e no Brasil é de 225 espécies (Parque Nacional do Viruá, RO). Vamos derrubar esses recordes!

Seja você ou não um observador de aves, participe.

Um bom Dia do Observador de Aves!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Bebedouros para beija-flores

Antonio Wuo, colocando seus bebedouros
de beija-flores. Mogi das Cruzes, SP.
A finalidade do bebedouro para beija-flores é atrair estas aves para os jardins, varandas, janelas. O bebedouro não substitui as necessidades nutricionais dos beija-flores, já que o néctar tem outros nutrientes além do açúcar e além disto, os beija-flores se alimentam também de pequenos insetos e artrópodes, de onde obtêm proteínas.

Para quem tem disponibilidade de espaço, o ideal é o plantio de diversas espécies vegetais que fornecem néctar, além de outras que fornecem materiais para a construção de ninhos. A manutenção de áreas arborizadas fornece também abrigos para estas aves, bem como permite a proliferação dos pequenos insetos dos quais elas se alimentam. Mesmo assim, os bebedouros podem ser usados como uma estratégia para trazê-los até bem perto de nós, permitindo que possamos observá-los em detalhe.

Apaixonados por passarinhos

Resgate de notícia  no Estadão publicada em 25 de setembro de 2009 e replicado no site Nova Urbis em 1º de outubro de 2009

Centro de Estudos Ornitológicos reúne 50 aficionados e comemora 25 anos com 802 espécies paulistas catalogadas

Filipe Vilicic - O Estadao de S.Paulo

Luiz Fernando Figueiredo (foto: Silvia Linhares)
Nos fins de semana, o médico Luiz Fernando Figueiredo costuma se reunir com amigos para ir a parques e reservas ecológicas paulistas. Mas ele não vai caminhar, andar de bicicleta ou passear com o cachorro. O hobby de Figueiredo não é tão usual. Pelas lentes de seu binóculo, ele olha para cima, na direção da copa das árvores e do céu. Procura por garças, tangarás, gaviões, sabiás. Cada pássaro que voa na sua frente acaba em seu caderno, onde anota dados da espécie. Estima já ter registrado 500 tipos de aves.


Figueiredo e seus colegas são fanáticos por aves. "É nosso futebol de fim de semana", diz o médico. "Só que levamos a sério esse lazer." Tão a sério que ele e cinco amigos fundaram o Centro de Estudos Ornitológicos (CEO) para organizar excursões, pesquisas, palestras e fóruns sobre o tema. A instituição, que comemora 25 anos na próxima terça-feira, conta com 50 loucos por pássaros que catalogaram 802 espécies paulistas - 462 na capital. Amostra desse trabalho será exibida por Figueiredo no domingo, às 14h, em palestra gratuita que fará em homenagem à organização no Espaço Catavento, museu científico no Parque Dom Pedro II, no centro de São Paulo.

Ubatuba 2011 - Na foto Ricardo, Rick e Elis, Jonas,
Gilberto, Júlio, June, Flávio, Evaldo e Sandra, Adilson
Agachados: Luiz Fernando, Macarrão,
Emerson e Eu (Silvia Linhares)
Foto: Silvia Linhares in self timer
No CEO, há tanto profissionais da área, a exemplo de ornitólogos e fotógrafos especializados, quanto aqueles que têm a atividade como um passatempo. Figueiredo é um dos cerca de 40 amadores do grupo. O médico começou a observar pássaros na infância. Nascido em Passos, interior de Minas Gerais, ele capturava aves com seu pai, que as criava em cativeiro. "Porém, eu sempre preferi vê-las soltas na natureza", conta.

Aos 10 anos, começou a pesquisar sobre as espécies que admirava. "Lia livros que pegava na biblioteca", lembra. Quando foi para Belo Horizonte cursar Medicina, se aprofundou no hobby: comprou o primeiro binóculo e um guia de campo.