sábado, 9 de abril de 2016

Treinamento de jovens observadores de aves da Comunidade do Alto Guapiruvu



Dando sequência ao Projeto Educacional em parceria com o Parque Estadual Intervales, o CEO realizou o treinamento nos dias 12 e 13 de março de 2016, com 24 crianças e adolescentes da Comunidade do Alto Guapiruvu, no município de Sete Barras SP, localidade vizinha ao Núcleo Guapiruvu do Parque.

Esta ação visa prospectar jovens interessados em seguir futuramente a carreira de monitor de observação de aves.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Programa Jovem Observador de Aves


Em 28/07/2014 o CEO recebeu uma mensagem da Sra. Cibely, professora de evangelismo da igreja Batista onde o jovem Raí estuda. Ela relatou que o Raí “...sempre menciona seu sonho, que é ser ornitólogo” e acrescentou “As crianças todas sempre ficam surpresas, ele explica do que se trata, e percebo que se sente sozinho em seu sonho. Não tenho  possibilidade de comprar itens desse seguimento e gostaria de pedir livros (ou similar) que lhe incentivasse, que ele percebesse como é bonita essa profissão, e que não está sozinho nos seus sonhos.”


Ficha de apresentação do candidato ao Programa Jovem Observador de Aves
Nome: Raí Gabriel Jesus Flausino
Idade: 8 anos
Nome do Responsável: Vani (Mãe)
Endereço:  Brasilândia / São Paulo
Estudante matriculado: Sesi – Lauzane 

A professora havia contatado inicialmente o COAVE de Santa Catarina quando seu coordenador, Maicon Mohr sugeriu que ela contatasse o CEO devido à proximidade. Passadas as orientações para a professora sobre o programa Jovem Observador, solicitamos o contato com a família da criança.

No dia 04 de dezembro de 2014, visitamos a casa do Raí, (Eu, o Luciano Monferrari e o Luiz Fernando Figueiredo) para entender como havia nascido o interesse dele pelas aves. A mãe explicou que o avô tinha um papagaio do qual o Raí gostava muito. Depois disse que vinha observando as aves nos livros da escola e aproveitava para fazer desenhos e saber mais sobre elas. Assim, com ajuda dos livros e da TV ele conheceu o urutau e ficou encantado.

Foto: Luiz Fernando Figueiredo, Raí Gabriel, Claudia Oliveira, Arthur Flausino (irmão do Raí) e Luciano Monferrari.

Chegou a mostrar uma foto da ave para a mãe para que essa pudesse encontrar a ave camuflada no toco da árvore. O Raí disse ainda que aproveita os passeios com a família para observar as aves, muito conhecido dele é bom bem-te-vi.

Como parte do regulamento do programa, fui nomeada “tutora” do Raí, cuja função principal é dar orientação na atividade de observação de aves e acompanhar o seu desempenho.

Iniciei imediatamente a tutoria, explicando a ele como usar o binóculo e os guias que lhes foram entregues por nós. Ele prontamente encontrou o urutau e ficou maravilhado com tantas outras aves, e foi para a janela da casa avistar outros indivíduos que sempre estiveram próximos a ele e que agora não passarão despercebidos aos olhos atentos do Raí.

Texto de Claudia Oliveira de Almeida (CRBio 82594/01-D)
Postado por Silvia Faustino Linhares

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Comemoração ao Dia do Observador de Aves - 2013

Comemorando o Dia do Observador de aves de 2013 (28/04), o CEO promoveu um passeio pela Avenida Paulista, em São Paulo, iniciando às 11 h em frente ao Conjunto Nacional (Av. Paulista com Rua Augusta) e seguindo até os parques Mario Covas e Tenente Siqueira Campos e terminando no Trianon.

Combinando com algumas cenas pitorescas que se vê na Avenida Paulista nos domingos, Maria Martha Argel aproveitou para angariar fundos para apoiar projetos de conservação de aves, tendo como garoto propaganda o pinguim JC.

Luiz Fernando, André Ricardo, Maria Martha Argel e o Pinguim JC
O que não faltou foi garoto e garota propaganda.
   
Martha Argel e Luccas Longo
Martha Argel e Giulia Moon

No Parque Mario Covas fomos informados por um vigilante que de vez em quando ali aparecia o pica-pau-de-banda-branca, Dryocopus lineatus, e que algumas pessoas já tinham ido lá para tentar fotografá-lo. Uma presença surpreendente em um fragmento tão pequeno de mata. Tentamos chamá-lo com o play-back mas não apareceu. Outro registro inesperado foi o pula-pula (Basileuterus culicivorus).

Anelisa Magalhães e Luiz Fernando
No Parque Tenente Siqueira Campos, a turma toda:


No percurso pela Avenida Paulista, aproveitamos para conversar com as pessoas, falando de nossa atividade e também parabenizar algumas, por darem atenção às aves em sua arte.


E descobrimos que a arte usando aves estava presente até nos orelhões!

 

No Trianon mais uma surpresa: um sabiá-laranjeira albino.


Uma última conversa com pessoas que estavam passeando na praça.


E ali nos despedimos, admirados com o fato de que mesmo na movimentada e antropizada Avenida Paulista foi possível observarmos um bom número de espécies de aves.


Texto: Luiz Fernando de A. Figueiredo
Fotos: Josué A. Bertagnoli de Figueiredo (Jow Bertagnoli)

Lista das aves observadas.

Cathartiformes


Cathartidae


Coragyps atratus
urubu-de-cabeça-preta
Sobrevôo
Columbiformes


Columbidae


Columbina talpacoti
rolinha-roxa
Trianon
Psittaciformes


Psittacidae


Brotogeris tirica
periquito-rico
Mario Covas
Cuculiformes


Cuculidae


Piaya cayana
alma-de-gato
Siqueira Campos
Passeriformes


Tyrannidae


Pitangus sulphuratus
bem-te-vi
Siqueira Campos
Myiozetetes similis
bentevizinho-de-penacho-vermelho
Mario Covas
Vireonidae


Cyclarhis gujanensis
pitiguari
Mario Covas
Hirundinidae


Pygochelidon cyanoleuca
andorinha-pequena-de-casa
Mario Covas
Turdidae


Turdus rufiventris
sabiá-laranjeira
Mario Covas, Siqueira Campos, Trianon
Coerebidae


Coereba flaveola
cambacica
Mario Covas, Siqueira Campos
Thraupidae


Tangara sayaca
sanhaçu-cinzento
Mario Covas
Parulidae


Basileuterus culicivorus
pula-pula
Mario Covas






terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Revista Aves: o nº 1 já tem sua arte final pronta.

A Revista Aves destina-se a ser distribuída gratuitamente em parques urbanos da cidade de São Paulo e algumas outras.

O Número 1 já tem sua arte final pronta. Será publicada com apoio empresarial e as empresas e demais patrocinadores terão o direito do uso dos espaços publicitários na Revista.

Pedimos que as empresas e outros eventuais patrocinadores interessados entrem em contato com o CEO.

Clique na capa para ver a revista.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Levantamento de avifauna na RPPN Encantos da Juréia

Nos dias 2 a 4 de novembro de 2012, uma equipe do CEO, composta por Adilson Amaral, Claudia Oliveira e Luiz Fernando, visitaram a RPPN Encantos da Juréia, em Pedro de Toledo, dando prosseguimento ao trabalho de colaboração com as RPPNs com a atividade de levantamento da avifauna.

Um levantamento de avifauna prévio já havia sido feito ali por outros, sendo que com nossa visita acrescentamos 7 novas espécies à lista. A lista de aves observadas está disponível no site do CEO, na seção Avifauna no Estado de São Paulo.

A RPPN se situa em um vale entre duas montanhas e é composta em sua maior parte por mata secundária, em boa parte já em avançado estágio de recuperação. Na parte baixa da reserva há um espaço desmatado, com vegetação baixa e em alguns pontos brejosa, sendo percorrida por um ribeirão. Desta forma, a unidade tem ambientes propícios tanto para aves do interior da mata, como de sua borda e de espaços abertos. Para percorrer a mata nos utilizamos de uma trilha já antiga, que havia sido aberta por palmiteiros, e que tem a desvantagem de ser bastante íngreme, já que sobe o morro em linha reta. Tivemos notícia de que uma nova trilha será aberta, planejada por técnico especializado, que terá como finalidade os trabalhos de pesquisa, educação ambiental e outros. Mas todos passamos no teste ergométrico! E, claro, de vez em quando fizemos uma pausa para um descanso.

Equipe e companheiros fazendo um descanso
na subida da trilha. Foto: Frederico
Por essa trilha visitamos a parte alta da RPPN, onde subimos em um morro de onde tivemos uma bela visão da cidade de Pedro de Toledo. Tivemos notícia de que por ali andava provavelmente uma onça pintada, pois tinha atacado um boi em uma propriedade vizinha.

Vista de Pedro de Toledo, tendo em primeiro plano
a mata da parte alta da RPPN. Foto: Luiz Fernando
.
Em nosso trabalho contamos com a companhia do Victor, biólogo especializado em botânica e gestor da RPPN, do Frederico, ornitólogo de Belo Horizonte, que estava passando uns dias na reserva para observação de aves, do Lucas, jovem morador de uma fazenda vizinha, que mostrou-se bastante interessado pelo nosso trabalho de observação e catalogação das aves e da também jovem cadela Mel, que nos acompanhou comportadamente em alguns trechos da reserva e foi responsável por nos denunciar num ponto da mata a presença de uma tovaca!

Equipe & companhia: Frederico, Adilson, Claudia,
Mel, Victor, Lucas e Luiz Fernando. Foto: Frederico
Aproveitamos para visitar uma área bastante interessante, no alto das montanhas, no município vizinho de Itariri, onde existe uma povoação indígena. Ali pudemos contemplar um belo rio, com seu leito todo ocupado por matacões.


Matacões no leito do rio. Foto: Luiz Fernando
Por fim aproveitamos para visitar a estrada do Espraiado, que sai de Pedro de Toledo e segue paralela à rodovia Régis Bittencourt, indo terminar na estrada que liga a Régis com a cidade de Iguape. Essa estrada segue margeando ao norte a Estação Ecológica da Juréia, e dela pode-se contemplar bem a serra de Itatins. É um lugar muito promissor para a observação de aves, pois percorre áreas bastante preservadas e da própria estrada é possível fazer boas observações da avifauna local. Programamos de retornar a Pedro de Toledo com o objetivo primordial de percorrermos com mais tempo essa estrada.

Texto: Luiz Fernando de A. Figueiredo

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

PN do Cipó, Chapada Diamantina e Boa Nova

Seis associados do CEO e dois convidados realizaram na primeira quinzena de outubro de 2012 uma excursão de observação de aves tendo como destino em Minas Gerais o Parque Nacional da Serra do Cipó e na Bahia  a Chapada Diamantina e o município de Boa Nova.

A excursão teve um bom resultado ornitológico, acrescentando para todos os participantes um bom número de “lifers” visuais e fotográficos.

Na Serra do Cipó, contamos com a excelente companhia de Gustavo Pedersoli e Fernando, de Belo Horizonte, que indicaram pontos importantes de observação de aves raras da localidade e nos acompanharam em algumas delas.

Legenda: Fernando e Gustavo.
Na localidade Lapinha, município de Santana do Riacho, tivemos um contato fácil com a espécie recém descrita, pedreiro-do-espinhaço. O forte e contínuo vento do local molda a vegetação em alguns lugares.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Palestra por Martha Argel com o tema: "Aves e Livros: dos Guias de Campo à Literatura"

Após a Assembléia Geral do CEO, no dia 27 de outubro de 2012 - 14:00 h, será ministrada palestra por Martha Argel com o tema: "Aves e Livros: dos Guias de Campo à Literatura". (Aberta a todos os interessados)

As aves são a porta de entrada para a percepção da natureza, e os recentes recuos nas leis ambientais mostram a necessidade urgente de despertar o amor e o carinho da população brasileira por nosso patrimônio. A proteção ao ambiente deve ser um ato de amor e não de medo à lei, e as aves são aliadas valiosas para operar essa mudança de comportamento. Por outro lado, o livro (de papel ou eletrônico) continua sendo o mais respeitado e eficiente meio de difusão de ideias e de formação de valores.

Nesta palestra, a ornitóloga e escritora Martha Argel falará sobre a presença das aves em livros destinados a públicos variados. A principal reflexão será: como expandir o interesse pelas aves e o respeito pelo ambiente natural, em última análise criando uma sociedade mais ativa na defesa do bem comum, a partir da incorporação do tema à educação e à cultura, tendo os livros como veículo? Para tanto, a palestrante vai falar de sua própria experiência ao produzir guias de campo, livros didáticos, obras infantis e juvenis e literatura de ficção, sempre pautando-se por tal reflexão.

Local da reunião:  Auditório Tattersal (em frente ao Museu de Geologia) no Parque Dr. Fernando Costa (Parque Água Branca), Barra Funda, SP.

Olha a Martha (em pé no centro) no estande do CEO durante o Avistar 2012

Foto: Silvia Linhares



quarta-feira, 30 de maio de 2012

Visita à Fazenda Meandros


Luiz Fernando Figueiredo (Foto: Chayenne Tomiuc)
O CEO tem com uma de suas pautas de ação o reconhecimento da avifauna do estado de São Paulo e assim tem contribuído com levantamentos de avifauna em diversas localidades desse estado. 

Para diversas Unidades de Conservação oficiais, os levantamentos feitos pelo CEO constituem as primeiras informações sobre as aves que lá ocorrem. Este ano o CEO iniciou uma atividade de levantamento de aves também em unidades de conservação particulares, as RPPNs, como colaboração ao conhecimento da biodiversidade dessas áreas e também em reconhecimento à iniciativa conservacionista dos proprietários dessas áreas.

Marina Amaral (Foto: Chayene Tomiuc)
Nos dias 26 e 27 de maio de 2012 uma equipe do CEO visitou a fazenda Meandros, no município de Ibiúna, SP, onde estão situadas três áreas constituídas como RPPN. Foram registradas 59 espécies, três delas classificadas oficialmente em algum grau de ameaça de extinção. 

Constatou-se também que trata-se de uma área com bom potencial para o turismo de observação de aves, por estar situada próxima da cidade de São Paulo, facilidade de acesso e manter remanescentes de mata atlântica nativa bem preservados.

A lista de aves está disponível nessa página do site do CEO. Clique aqui

Texto: Luiz Fernando Figueiredo
Fotos: Chayene Tomiuc

terça-feira, 22 de maio de 2012

Passeio no Ibirapuera ensina a ver pássaros


Domingo, um grupo de pessoas irá ao Parque do Ibirapuera por uma razão muito especial. Não será pelas ladeiras que convidam à prática do skate, tampouco por causa das quadras ou da ciclovia. O objetivo é olhar para o alto. Eles tentarão ver pelo menos parte das mais de 170 espécies que habitam o local. O passeio, para iniciantes, começa às 8h e integra a programação da Avistar 2012, encontro brasileiro de birdwatching (observação de pássaros), em parceria com o Viva Mata 2012, evento de defesa da Mata Atlântica.

A ornitóloga e PhD em Ecologia Martha Argel e o ativista inglês David Lindo, o ‘The Urban Birder’, vão mostrar como fazer a aproximação e darão detalhes sobre as espécies. Haverá atividades parecidas no Parque Villa-Lobos (amanhã e domingo, às 9h) e no Parque Vila Guilherme – Trote, na zona norte (domingo, às 8h).

Martha Argel e David Lindo (foto: arquivo de Martha Argel)
Não há mistério em ser birdwatcher. Segundo o organizador da Avistar, Guto Carvalho, basta seguir algumas regras básicas, como usar roupas que não tenham cores chamativas e caminhar lentamente, de preferência em zigue-zague e sem encarar a ave. “Não adianta se esconder atrás da moita, porque a ave vai ver que ela está estranha, tem pernas e braços (risos).” Binóculo é equipamento básico, mas segundo Carvalho, dispensável nesse primeiro contato.


Paixão
Observador que se preze não mede esforços para ver uma ave. O sargento da Polícia Militar Fábio Ferrão Videira, de 39 anos, conta que já teve de ficar imóvel por cerca de 15 minutos à beira de um lago só para se aproximar de um saí-azul. “Para quem está imóvel, é uma eternidade”, diz o observador, que já chegou a enfrentar aranhas e cobras só para conseguir ver a ave que desejava.

Fábio Ferrão e o colega Ricardo Pires

A artista plástica June Rodrigues Alves, de 62 anos e birdwatcher há 20, conta que uma vez foi com amigos a Campos do Jordão (SP) em busca do papagaio-de-peito-roxo. “A gente chegou às 5h, aquele frio horroroso. Eram 8h, e nada.” Então, pegaram o caminho de volta. “À beira da estrada, lá estavam eles, nas araucárias.”


Birdwatcher há 25 anos e um dos fundadores do CEO (Centro de Estudos Ornitológicos) de São Paulo, o médico Luiz Fernando Figueiredo, de 62 anos, é uma referência quando o assunto é avifauna. Já listou mais de 500 aves no Estado de São Paulo e reconhece com facilidade as espécies. “As pessoas acham excêntrico ser um observador”, diz. Hoje, segundo a Avistar, o Brasil tem cerca de 3 mil birdwatchers. A maior parte homem, com curso superior e pós-graduação e das classes A e B.
Parte da equipe do CEO - (foto: Silvia Linhares)

Ferrão e June são seus colegas no CEO. June já nem consegue andar na rua distraída – tanto que só no seu bairro, o Brooklin velho, listou cerca de 70 espécies – que devem entrar em seu livro de pinturas. “Qualquer pessoa pode ser observadora, da janela de sua casa. Em meia hora, vai ver umas dez espécies”, diz.

“A família acha que a gente não é muito certo da cabeça”, brinca Ferrão, que se formou em Biologia só por causa desse hobby. Mas a história que ele gosta de contar é a de um suiriri-cavaleiro que viu perto de Sorocaba. “Normalmente, a gente segue os pássaros, mas desta vez, ele nos seguiu.” Ferrão arriscou uma aproximação com o animal silvestre e ele passou, manso, pela palma da sua mão estendida no chão. “Isso compensa dinheiro gasto, as viagens, o tempo de dedicação. Isso vale tudo.”  ::

GISLAINE GUTIERRE
gislaine.gutierre@grupoestado.com.br
Publicado originalmente em http://blogs.estadao.com.br/jt-cidades/passeio-no-ibirapuera-ensina-a-ver-passaros/ em 17 de maio de 2012 |  23h07 |

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Excursão ao Núcleo Itariru, Parque Estadual da Serra do Mar.



Luiz Fernando, Silvia Linhares e André Ricardo
Dando prosseguimento ao levantamento de aves em Unidades de Conservação do estado de São Paulo,  atendendo projeto de pesquisa aprovado pelo COTEC do Instituto Florestal, três membros do CEO visitaram nos dias 6 a 8 de abril de 2012 o Núcleo Itariru, do Parque Estadual da Serra do Mar, cuja sede está situada no município de Pedro de Toledo. 

Nesse levantamento foram detectadas  108 espécies, 59 destas documentadas com fotografias, postadas no site Wikiaves. 

A lista de aves pode ser vista no site do CEO: http://www.ceo.org.br/avifest.htm


Um interessante registro foi o do casaca-de-couro-da-lama, Furnarius figulus, espécie que se expandiu recentemente para o estado de São Paulo, e este é provavelmente o registro mais ao sul da distribuição dessa espécie.
Casaca-de-couro-da-lama (Furnarius figulus) - Wing-banded Hornero
Boa parte do Núcleo é uma área recentemente incorporada ao Parque, ainda em processo de desapropriação. Há duas estradas que percorrem o Núcleo e que facilitam bastante o acesso a seu interior. O Núcleo dispõe também de uma sede bem estruturada.

A mata
A cidade de Pedro de Toledo é pequena mas muito acolhedora e bastante utilizada para turismo. Dispõe de diversas pousadas e bons restaurantes. É portanto, um destino de observação de aves a ser melhor aproveitado, tendo em vista o excelente potencial de diversidade de sua avifauna.

Texto: Luiz Fernando Figueiredo
Fotos: Silvia Linhares