sábado, 26 de agosto de 2006

Observando Aves em Dourado

Choca-Barrada
Visitamos nos dias 19 e 20 de agosto o município de Dourado, pela segunda vez, já que em 2004 lá estivemos.

Com essas duas visitas e com base num levantamento parcial publicado anteriormente para a área, em tese de mestrado, o Município totalizou 204 espécies de aves, sendo que em nossa última visita detectados131 destas.

Contamos em nossa visita com a companhia de nosso amigo Jony, morador de Dourado, e grande conhecedor da avifauna da região.

Dourado situa-se ao lado direito do vale do rio Jacaré-pepira, afluente do rio Tietê.

A paisagem é formada por matas semi-decíduas, especialmente nos topos dos morros, onde se vê nessa época as árvores completamente desfolhadas, e em alguns fragmentos maiores, onde foi preservada em propriedades particulares.

Também regiões de cerrado e a mata ciliar do rio Jacaré-pepira, bem preservada. Na agricultura predomina a cana-de-açúcar, cujo cultivo tem aumentado muito na região.

Em terras preparadas para o plantio de cana vimos a seriema, Cariama cristata, que parece se beneficiar de algum modo desse ambiente.

Há também pastos com gado, onde vimos a garça-vaqueira, Bubulcus ibis.

Nos trajetos, chamou-nos a atenção uma frequência significativa do tucanuçu, Ramphastos toco.
Bico-de-agulha-de-rabo-vermelho

Na cidade chamou-nos a atenção a presença de bandos do periquitão-maracanã, Aratinga leucophthalmus, visitando fruteiras nos quintais.

Canário-do-brejo
Outras espécies que nos chamaram a atenção nos percursos pela área rural foram a siricora-mirim, Laterallus viridis, que ouvimos numa região alagada da várzea do rio, o papagaio-verdadeiro, Amazona aestiva, a corujinha sapo, Megascops atricapilla, o joão-corta-pau, Caprimulgus rufus, o beija-flor-dourado-de-bico-curvo, Polytmus guainumbi, o balança-rabo-de-mascaras, Polioptila dumicola, o ameaçado sanhaço-de-coleira, Schistochlamys melanopis, este talvez o que mais provocou elogios por sua discreta beleza.

Vimos também o ameaçado canário-do-brejo, Emberizoides ypiranganus, que esteve ao nosso redor por bom tempo, permitindo relembrarmos ali mesmo alguns aspectos da discutida distinção em campo dessa espécie com seu primo e também ali simpático canário-do-campo, E. herbicola.

De longe pudemos observar o coleiro-do-brejo, Sporophila collaris, em seu típico ambiente de vida, no ponto exato de uma indicação prévia de onde poderia ser visto, de nosso bem informado Jony e um pouco mais à frente, na borda da mata, um curió, Sporophila angolensis.

Coleiro-do-brejo
Além destes, outros próprios de matas ciliares e do cerrado, como o bico-de-agulha-de-rabo-vermelho, Galbula ruficauda, o choro-boi, Taraba major, a choca-barrada, Thamnophilus doliatus, o arapaçu-do-cerrado, Lepidocolaptes angustirostris, o arredio-do-rio, Cranioleuca vulpina, que deu um “banho” no Carlos Gussoni, que não hesitou em atravessar o rio Jacaré-pepira para verificar um ninho dessa espécie, ainda pouco conhecido na literatura, o tachuri-campainha, Hemitriccus nidipendulus, a tesoura-do-brejo, Gubernetes yetapa, dando um show com seu display em dupla, a gralha-picaça, Cyanocorax chrysops, o garrinchão-de-barriga-vermelha, Thryothorus leucotis e, por fim, o cavalaria, Paroaria capitata.
Tesoura-do-brejo

Todos nós, até o “nativo” Jony, cuja companhia recomendamos a todos que forem "passarinhar" em Dourado, ampliamos em nossas listas pelo menos um lifer, mostrando, portanto, que a excursão foi extremamente proveitosa.

Com exceção de um pequeno incidente, em que Luiz Fernando foi vítima de uma reação alérgica pela picada de uma mutuca do gênero Chrysops, tudo correu em perfeita harmonia com a natureza que, apesar do atual interesse econômico pela ampliação das áreas agricultáveis, ainda guarda ali uma interessante amostra de nossa biodiversidade ornitológica.



Soldadinho

Texto: Luiz Fernando Figueiredo
Fotos: André De Lucca


4 comentários:

  1. Que pena que não pude ir!
    Otimo relato e fotos excelentes.

    ResponderExcluir
  2. Que massa essa excursão galera...
    mto legal as fts André!!!
    Gussoni, no final vc achou o ninho ou não?!! tomara q sim, mas acho que valeu pelo banho,né...heheheh
    abrçs

    ResponderExcluir